Faça seu próprio iogurte!

[print_link] | [email_link]

Iogurte prontinho!

Essa quem me ensinou foi o querido Bruno, também dono de uma panela elétrica de arroz. Eu juro que não esperava muito mais do que um arroz papa da minha quando a comprei, mas confesso que a bichinha me impressiona mais a cada dia. O mais novo uso que foi dado a ela foi o de iogurteira e preciso dizer que ela cumpriu maravilhosamente o papel!

Achei fantástica e revolucionária a ideia de poder produzir meu próprio iogurte no conforto do meu lar. Sem contar que a partir do iogurte da pra fazer queijo, coalhada, cream cheese e até sobra aquele soro amigo que pode substituir o buttermilk. Além disso é mais barato do que comprar iogurte industrializado,  fora o fato de também é mais saudável já que não tem espessante, emulsificante e todos os outros “antes”. E o danado ainda é fácil fácil de fazer!

Tudo o que você precisa é de um litro de leite fresco de boa qualidade, afinal o seu produto final só será tão bom quanto os ingredientes que você usar no preparo, e um potinho – dos menores mesmo – de iogurte industrializado que será o seu “fermento”. Ferva o leite e deixe amornar, você saberá que está na temperatura certa quando conseguir colocar o dedo dentro e ficar por uns 10 segundos. Amornou, junta o iogurte do potinho e mistura bem, coloca na panela elétrica, liga no modo “aquecer” e deixa lá por 8h. O ideal é fazer isso antes de ir dormir, que aí você acorda com o iogurte já pronto e não fica naquela ansiedade do : – Já tá pronto? Falta muito?

Guarde um pouquinho deste iogurte num potinho separado e ele funcionará como o seu fermento. Fazendo isso toda vez que você produzir iogurte você nunca mais precisará comprar dos industrializados. Bacana, né?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Sobre Ângela

Professora, mestranda e dona de casa. Ou seja, a pessoa que, na concepção dos outros, menos trabalha no mundo.

Comentários

  1. cade vc sumida??? pensei q ainda tava viajando… final de março to indo pra sampa, possivelmente ficarei em vila olímpia…

  2. Que delícia!

  3. Ângela diz:

    Bonitona, cheguei hoje de viagem!
    Sério que vc vai pra Sampa? Vamos nos encontrar de novo!!!! Uooooooba!

  4. Nathália diz:

    Fiquei babando aqui de imaginar o iogurte….. adoooro!!!
    Bom, minha mãe me ensinou a fazer iogurte assim quando eu tinha 15 anos… Hoje tenho 25, e quando contei pro meu marido que “sabia fazer iogurte”ele não acreditou… hehehe! Mas, não coloco em panela alguma, deixo numa vasilha de vidro, cubro e deixo virar a noite… confesso que em dias de calor ele “encorpa”melhor… Mas, mesmo no tempo ameno, ele fica muito bom… aí pela manhã bato no liquidificador com alguma fruta, ou somente misturo com pedaço de fruta, aveia ou mel… fica mesmo uma delícia!

  5. Ângela diz:

    Você cobre a vasilha com filme de PVC? Minha mãe uma vez me falou dessa técnica, de tampar a vasilha e enrolar com um cobertor e colocar no forno quente desligado. Ainda não testei.

    Iogurte é tudo de bom, n;e?

  6. Olá,
    Conheci seu blog através da Ana Sinhana, e estou amando.
    Olha eu também faço meu próprio iogurte, mas porém faço na garrafa termica: Fervo 500ml de leite, misturo mais 500ml de leite frio, vejo a temperatura igual a você, e adiciono 2 colheres de iogurte natural, misturo bem e daí coloco na garraga termica por 5 horas, e está pronto. Para quem não tem a panela elétrica é uma ótima opção.
    bjos
    Elaine

  7. Ângela diz:

    Oi Elaine!
    Adorei a sua técnica! Deve funcionar super bem, já que a garrafa térmica é um ótimo isolante.
    Por cinco horas já dá um bom resultado? Ou ele ainda fica muito líquido?
    Beijo

  8. Cristiane de Luca diz:

    Olá!!!estou encantada com o blog, só o descobri agora através da revista Ana Maria!!!
    Adorei a técnica do iogurte na panela elétrica, mas como não a tenho, queria saber se na garrafa térmica ele fica muito líquido???

  9. Ângela diz:

    Oi CRistiane!
    Tudo bem?
    Fico feliz que tenha gostado do blog! Olha, nunca tinha pensado em usar a garrafa térmica, mas acho que pode ser uma boa saída. uma outra possibilidade é colocar em um recipiente que possa ir ao forno (como uma vasilha de vidro) e cobrir com magipack. O forno deve estar quente, mas desligado.
    Beijo

  10. Bruno Mendes diz:

    Ângela! Que honra ter uma receita (ou técnica?) minha no seu blog.
    O jeito que dava certo para mim é ferver o leite (para esterilizar) e depois esperar ele chegar até a temperatura ideal de proliferação dos lactobacilos, que é uns 40 graus Celsius. Aí eu juntava o iogurte.
    Vamos lembrar que o dedinho que a gente põe para testar tem que estar bem limpo! =]
    Fazer culturas é bacana, mas se não tiver cuidado, pode ser perigoso.
    Se a temperatura ficar em 40 graus, ele fica bem espesso e gostoso. Aí é questão de ajustar (deixar a tampa entreaberta, por exemplo, caso fique quente demais).
    Quanto mais tempo deixar, mais ácido lático é criado e menos lactose sobra, o que faz que o iogurte seja adequado para pessoas com intolerância à lactose.
    Bjao
    Bruno

  11. Bruno Mendes diz:

    Tendo dito isso, o iogurte ficou bem bonito! Você ainda faz?

  12. Ângela diz:

    Uau! A técnica ficou super aprimorada, hein? Que legal!

  13. Ângela diz:

    Tenho feito menos ultimamente, mas ainda faço às vezes.

  14. Estava procurando uma iogurteira e ao ver as imagens e filmes percebi que ela é muito parecida com a panela de fazer arroz, que já tenho e pensei… será que não dá pra usar a que tenho?
    Santo Google me trouxe para este Blog e hoje a noite vou testar a receita, não coloco já para fazer porque tenho que ir comprar o iogurte.
    Grato pela dica e parabéns pelo Blog, inclusive adorei sua apresentação, você tem razão pois as pessoas pensam que a “dona de casa” não trabalha, o que é uma tremenda injustiça, inclusive com nossas mães. Sempre valorizei este trabalho e só não pago a minha mulher por ser dona de casa porque nenhum salário seria suficiente, então apenas tento ser mais útil, ajudar e valorizar todo este trabalho.

Deixe o seu comentário

*

css.php