Biscoitinhos de retorno

[print_link] | [email_link]

Eu não sei nem como começar a escrever este post, tanto tempo faz que não venho dar o ar da graça por aqui. Aconteceram mil coisas nesse meio tempo, umas que vêm ao caso e outras que não, e aí também vai dando aquela falta de assunto que o excesso dele provoca: vou contar o que? Em que ordem? Falta de vergonha na cara, pura e simplesmente. Cêis desculpa?

Nesse meio tempo rolou uma enorme falta de inspiração culinarística e junto com ela uma quase total ausência minha na minha cozinha, o que levou à estiagem de posts. Mas parece que agora as coisas parecem ter mudado de rumo e voltado ao curso normal, eu na frente do fogão brincando de panelinha. O fato de eu estar considerando manter a faxineira apenas uma vez por mês ao invés de semanalmente também deve contribuir para a o aumento do número de historinhas que aparecem por aqui. Além de uma maior variedade de temas neste que estava se tornando praticamente um blog culinário, sendo que esta nunca foi a minha intenção inicial.

Animada com a compra de uma grade para secar biscoitos e de umas forminhas, fui à procura de uma receita simples para poder testar. Não queria nada complicado, só um biscoitinho daqueles de ter no pote para poder beliscar quando desse vontade de dar uns bocadinhos no meio tarde. Queria ingredientes básicos, daqueles que toda cozinha tem, e de execução fácil e rápida, sem grandes esperas ou muitas exigências de técnicas. É só comigo ou quando vocês deixam de cozinhar por um tempo também sentem que precisam voltar ao nível básico da coisa?

Usei minha forminha de cogumelo

Enfim, olhei num livro, olhei noutro e não via nada com a simplicidade que desejava. Até que pensei no livro de técnicas de sobremesa da Cordon Bleu; “eles costumam ter sempre uma receita básica pra tudo, que costuma funcionar e com boas instruções.” Minha intuição não me falhou e eu encontrei a seguinte receita de massa básica de biscoitos:

– Meia xícara de manteiga;

– um quarto de xícara de açúcar;

– duas gemas de ovo;

– duas xícaras de farinha;

– uma colher de chá de extrato de baunilha, apesar de tê-lo em casa resolvi substituir pela mesma medida de água de flor de laranjeira, só pra dar uma bossa.

Bata a manteiga e o açúcar até formar um creme pálido e bem macio. Junte as gemas e então incorpore a farinha e a baunilha para fazer uma massa leve. Misture com os dedos de leve e deixe na geladeira por cerca de quinze minutos. Pré-aqueça o forno a 180 graus e unte duas formas (eu usei meu silpat). Abra a massa em uma superfície levemente enfarinhada e então corte-a usando forminhas. Outra opção é enrolar como um salame e fatiar rodelinhas. Coloque na assadeira e leve ao forno por cerca de quinze minutos, até que fique levemente dourado. Seque numa grade.

Eles ficaram bem gostosinhos, do jeito que eu queria. Depois vou tentar dar uma incrementada na receita, com gotas de chocolate, baunilha, extrato de amêndoas… Vale deixar a imaginação correr solta.

Além de tudo, eu ainda tive a oportunidade de usar meu rolo de macarrão novo - de mármore! - pela primeira vez. DIversão garantida.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Sobre Ângela

Professora, mestranda e dona de casa. Ou seja, a pessoa que, na concepção dos outros, menos trabalha no mundo.

Comentários

  1. Mônica A. Eickhoff diz:

    Parabéns pela forma de relatar suas experiências e pela dedicação em manter o blog. Muito leve, prático e divertido!! Encontrei o endereço em uma revista de decoração. Excelente dica!!!

  2. Ângela diz:

    Obrigada pelos elogios, Mônica! Beijo,
    Ângela

  3. Bruno Mendes diz:

    Oba, tá usando o Silpat! 😀

Deixe o seu comentário

*

css.php