A dona de casa e o LinkedIn

[print_link] | [email_link]

Dia desses recebi um e-mail do LinkedIn sugerindo que eu adicionasse meia dúzia de pessoas ao meu perfil e nisso aproveitei pra ver quanto do meu estava preenchido. Praticamente só meu nome e o da escola onde eu trabalho, a sugestão do site era para que eu completasse o resto das informações que faltavam. Ok, sexta-feira à noite, em casa, meio de bobeira, comecei a preencher os campos indicados numa boa até chegar nas minhas competências/habilidades ou skills, como diriam ningrêis.

Tirando “dar aulas”, falar duas línguas estrangeiras e mergulho, todos T-O-D-O-S os outros eram relacionados com assuntos domésticos: cozinhar, assar (em inglês eles diferenciam cooking de baking), tricotar, bordar, costurar, arrumar a casa (housekeeping) e afins. Juro, fiquei com vergonha de mim mesma! Parecia que eu estava me candidatando pra uma vaga de mulher, Amélia, dona-de-casa em tempo integral. Também pensei que, ao escrever este blog, estou no lugar certo.

Só restou uma dúvida, o Mahout trainning que eu fiz no Laos no ano passado, quando fiquei aprendendo a manejar elefantes em um acampamento durante quatro dias… conta como skill pro LinkedIn?

Não só aprendi como tenho fotos pra provar!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Sobre Ângela

Professora, mestranda e dona de casa. Ou seja, a pessoa que, na concepção dos outros, menos trabalha no mundo.

Comentários

  1. nicole diz:

    noooooooossa que coisa mais exotica ! haha ah, mas vc tem coisas bastante diferentes, acho que contam o dobro (;

  2. Ângela diz:

    =)

  3. Oi Ângela, gostei do seu blog! Hoje são bem poucas as mulheres que se interessam por serviços domésticos. Acho que é por causa da ilusão de uma “super” carreira em uma empresa, ou a tal “igualdade” de gênero. Mas, por que ninguém entende que ter uma profissão não pode excluir outras atividades na vida? Trabalhar fora de casa é só mais uma atividade! Demanda tempo e dedicação, é óbvio. Mas todo o resto também demanda. Você não deve se sentir envergonhada pelas suas habilidades domésticas! Saiba, hoje isso é raridade!! Fico triste pelas mulheres que só sabem fazer uma coisa: trabalhar para uma empresa. Eu prefiro saber fazer isso e também saber (e gostar) de cozinhar, organizar, ser esposa, costurar, bloggar, fazer artesanato, decorar a casa… E garanto, arrumo tempo para tudo isso e também para ir à praia, namorar, ir ao cinema, sair, etc.
    Um abraço e parabéns pelo blog!

  4. Ângela diz:

    Oi, Daniela!
    Obrigada pelo elogio, de coração.
    Sabe às vezes fico me perguntando se eu gostaria de ter uma super carreira em uma super empresa e, toda vez que este questionamento bate, a resposta é sempre a mesma: quero não. Isso de não ter hora pra voltar pra casa não é comigo, mesmo, e eu gosto tanto das coisas que eu faço em casa, faço com tanto carinho, com tanto cuidado. E então eu fico sempre MUITO feliz quando recebo comentários bacanas e carinhosos como esse seu!
    Um beijão!

  5. Daniela diz:

    Eu entendo vc, Ângela! Não troco as minhas mil atividades e o meu tempo por nenhuma super carreira em alguma multinacional 😉

  6. Ângela diz:

    é isso aí, Dani!

  7. claudia diz:

    olá, meninas já que hoje é o dia das mulheres quero mandar um parabéns geral! e fiquei procurando na internet algumas concepções sobre dona-de-casa e comecei a ficar com a auto -estima no chão…enfim, respirar fundo e erguer a cabeça, né? tem seus prós e contras: quem está trabalhando fora e trazendo dinheiro pra casa adoraria ficar em casa e cuidar do seu canto ou de filhos etc. quem está em casa gostaria de estar sendo mais “útil” , já que em casa nada é elogiado, tamanha a noção de que não é mais do que a obrigação…lamentável. Vou tocando assim mesmo, uma hora dessas o jogo muda.

Deixe o seu comentário

*

css.php